segunda-feira, 29 de junho de 2009

Apresente a perspectiva de Piaget sobre o desenvolvimento da capacidade do pensamento dirigido e respectivas críticas


A teoria de desenvolvimento cognitivo de Piaget foi a que teve mais impacto dentro da comunidade científica.
Piaget desenvolveu métodos para estudar o modo como os bebés e as crianças encaram e chegam a compreender o mundo.
Piaget acredita que todas as crianças evoluem através de uma serie de estádios que se sucedem segundo uma ordem pré determinada. Estes estádios diferem não só quanto à quantidade de informação adquirida, como à qualidade do conhecimento e entendimento.
No período sensoriomotor (do nascimento aos dois anos): esquemas muito rudimentares, acções através dos sentidos, permanência do objecto, inicio do pensamento representativo. Para Piaget, a principal característica deste estádio é a permanência do objecto. Segundo ele, não existe a permanência do objecto durante os primeiros meses de vida. Um bebé pode olhar para um brinquedo novo com evidente prazer, mas se desaparecer da vista, mostra pouco interesse. Parece como se que o que está fora da vista estará fora do pensamento e não existe realmente para o bebé.
No período Pré-operatório (dois aos seis anos): egocentrismo (as crianças não conseguem compreender o ponto de vista da outra pessoa, pois nem sequer são capazes de reconhecer a existência de vista diferentes; ainda não conseguem compreender que existem outros indivíduos), ausência de noção de conservação (em relação às experiencias com copos cheios de liquido, as crianças ficam demasiado impressionadas pelas mudanças visíveis de aparência que acompanham cada transferência (mudança dos níveis do liquido) e não compreendem que não existe uma realidade subjacente (a quantidade de liquido) que permanece sempre constante), dificuldade em distinguir realidade de fantasia.
No período das operações constantes (dos sete aos dez anos): capacidade de aprender, domínio da linguagem. Dificuldade em perceber raciocínios abstractos (dedutivo e hipotético).
No período das operações formais (dos dez anos à fase adulta), o pensamento torna-se abstracto, formal e totalmente lógico.
Alguns psicólogos defendem que estas fases de desenvolvimento são imprecisas. Dizem que o desenvolvimento é mais continuo e que as alterações que ocorrem (dentro e entre fases) reflectem mais progressos quantitativos no desenvolvimento cognitivo o que alterações qualitativas no pensamento. Defendem assim que o desenvolvimento cognitivo é feito de forma gradual.

Sem comentários: